segunda-feira, julho 08, 2013

Custo de manutenção de motor Yanmar que pode ser evitado!

Vou dedicar essa matéria a alguns dos problemas de manutenção que tive com o motor Yanmar do Matajusi.

Tudo começou, e só foi preciso isso, com uma instalação mal feita pelo estaleiro que fabricou o Matajusi e montou o motor no barco, seguida por uma vistoria mal feita pelo representante Yanmar da região, que não percebeu a montagem errada, e pronto, como “uma coisa leva a outra”, o problema foi aumentando e se agravando até a situação de hoje.

Na instalação inicial do motor feita pelo estaleiro, o cabo de acelerador e engate da transmissão foi montado muito curto. Com isso, todas as vezes que o engate a frente era acionado, não acionava corretamente a transmissão, faltando mais de um centímetro para a transmissão ser acionada na forma como devia, e isso, com o tempo, foi provocando um desgaste desnecessário do cone da transmissão.
Esse problema poderia ter sido evitado, se, primeiro, o estaleiro tivesse montado corretamente o cabo, segundo, se a inspeção da Yanmar tivesse reconhecido o erro e promovido o acerto, mesmo antes de eu receber o barco e motor novos, e terceiro, se eu entendesse alguma coisa sobre isso quando recebi o barco, e por isso escrevo essa matéria, pois muitos serão os novos proprietários que poderão reconhecer esses problemas e ajustarem o cabo de engate antes do problema piorar.
Um problema que na pratica pode ser identificado e corrigido, tendo-se o conhecimento para tal, acabou gerando um custo enorme e desnecessário, acumulado com o risco do motor nos deixar na mão,  e pior ainda se em uma hora onde isso não pode acontecer, ou seja, quando a gente realmente estiver precisando contar com o motor em bom funcionamento. Não adianta o motor ligar e funcionar bem, a transmissão tem que engatar e funcionar bem também para o barco poder ter algum seguimento a motor.

Lembro que em algum momento na nossa travessia pelo Pacifico, comecei a perceber que a velocidade do barco não mais correspondia com a velocidade do motor, ou Rotações Por Minuto do motor (RPM). Primeiro pensei que o hélice ou o eixo estavam soltos, pois não conhecia o sistema o suficiente para poder diagnosticar o que estava acontecendo. O que eu percebia era que o hélice girava mais lento do que deveria estar girando. Para entender melhor, eu olhava no volume de água que era empurrado para trás pelo hélice, para empurrar o barco para a frente, e aquilo não parecia corresponder com o RPM do motor.
Como em travessias usamos o motor somente ajudando o seguimento à vela, sempre em baixa rotação, algo entre 1.200 e 1.800 RPM, pois nessa velocidade o consumo é bem menor  e a distancia que podemos percorrer aumenta bastante. Com os três tanques de diesel do Matajusi, com um total de 330 litros de diesel, consigo fazer algo em torno de mil milhas ajudando o seguimento à vela com o motor.

Minha experiência mostra que o consumo seria na ordem de vinte e cinco litros por vinte e quatro horas de motor, ou seja, pouco mais de hum litro por hora, o equivalente a  um quarto de tanque por dia, o que me daria na ordem de doze dias de ajuda com o motor, que a uma media de cem milhas por dia, ou seja, muito pouco vento a favor ou talvez vento ou  corrente contra, me daria as mil milhas iniciais. Mas, o problema com usar o motor nessa baixa rotação, é que não se percebe quando a transmissão esta patinando, pouco ou muito, pois o barco continua com algum seguimento com o vento ou corrente, dai a importância de se conhecer esse problema para podermos identifica-lo antes do problema piorar a ponto de perdermos qualquer possibilidade de seguimento á motor.

No meu caso, a situação ficava mais complexa pois o barco usava um hélice Kiwi Prop, que se alinhava à agua para diminuir o arrasto quando o seguimento era a vela. Primeiro pensei que o hélice não estava armando corretamente, e cheguei a mergulhar  seguro a um cabo amarrado à proa, com o barco e motor em seguimento, para ver o que acontecia e foi aí que percebi que o problema era que o hélice não girava na velocidade que deveria girar em relação à rotação do motor, somente quando o motor era acelerado, e ai percebia-se um “tum” em algum lugar do sistema,  com o barco voltando a se comportar como deveria.

Sem conhecer ainda o sistema, ficava difícil identificar de onde vinha o  “tum”, e até chegarmos na Nova Zelândia, quando tirei o Kiwi Prop e re-instalei o hélice original do barco, de bronze com duas pás, que percebi, mais isso somente depois de voltar o barco para a água, então resolvi deixar ainda com o “tum” até Fiji, onde tinha outro representante Yanmar.
Em Fiji, conversando com outro navegador que já tinha tido esse problema, aprendi sobre os cones do sail drive da Yanmar, como funcionavam, e os problemas que davam, mas isso, mais comum nos sail drives anteriores ao do Matajusi,que tem o SD50. Escrevi para o David, um amigo da Yanmar de Opua na Nova Zelandia e ele me mandou copia do manual do SD50, com instruçoes de como consertar o problema da derrapagem do cone das rabetas Yanmar (Sleepering Cones). O problema era tão grave nos sail drives anteriores que a Yanmar desenhou um sistema onde o eixo pode ser desacoplado da caixa de transmissão, com um simples soltar de quatro parafusos e empurrar  o eixo para fora do cone, muito simples, e permite que se retire a caixa de transmissão, agora sem o eixo espetado no meio dela. Dentro da caixa de transmissão, fica esse cone, parecido com um ioio de bronze. 

Uma vez retirada e limpa a caixa de transmissão dava para ver o desgaste no cone original, de ficar patinando, e de dar e tomar o tranco ( “tum”) quando a transmissão engatava em maiores rotações do que a de marcha lenta.  Feito isso, levei a caixa inteira para a BaoBab, representante Yanmar em Lautoka, Fiji, e pedi para eles trocarem o cone, pois havia conseguido um novo com meu amigo Mike Dawson do Shellette, que tinha dois de reserva, pois ja tinha passado por esse problema também. Lá eles desmontaram a caixa, trocaram os cones, e me devolveram para eu re-instalar no barco.
Feito tudo isso, a transmissão voltou a funcionar normalmente, ou seja, engatava e não dava o “tum”. Mas, o problema não estava lá, somente a consequência, o problema continuava a ser a do cabo de engate, mas eu não conhecia o suficiente para saber disso. Resultado, não demorou muito e a patinação começou de novo! 

Pensei ter sido um serviço errado na montagem da caixa de transmissão pela BaoBab, mas, resolvi estudar mais profundamente o sistema. Escrevi novamente para o David de Opua explicando a nova situação, e ele então sugeriu olhar no cabo de engate, e dito e feito, foi ai que descobri que eles não estavam ajustados corretamente. Não deu muito trabalho ajustar, foi desmontar os cabos no engate e acelerador no motor, acionar o engate com a mão mesmo, e acionar o cabo em paralelo, fora do engate, para ver se o cabo e o engate acabavam no mesmo lugar, e não acabavam! Faltava pouco mais de um centímetro para o cabo chegar onde o engate chegava! Se eu soubesse disso antes?!  Teria economizado muito dinheiro, tido muito menos problemas, menos preocupações e dores de cabeça, tudo por causa de um centímetro de cabo!

Bom, ajustei o cabo, chequei bem, e o engate voltou a funcionar corretamente, mas, e sempre tem um mas,  como ele havia funcionado errado por um tempo, provavelmente desgastou o novo cone também, pois no meio da travessia do Atlântico, a transmissão começou a patinar pela terceira vês na minha volta ao mundo!

Cheguei em Angra, contratei o pessoal da Náutica Porto Novo, representantes Yanmar para fazer uma revisão completa no motor do Matajusi, e aí vieram as novas surpresas! O acoplador do motor, uma peça que fica entre o volante e a transmissão, estava quase que derretido pelos “tums” que teve que aguentar durante essas trinta e duas mil milhas e mais de quatro mil horas que levaram para eu dar uma volta ao mundo! Isso ia me custar mais uma revisão do motor, não fosse o fato de que, meu motor Yanmar veio com um defeito de fabricação onde o retentor de óleo que fica atras do volante vazava desde novo. Na época, a Yanmar tinha autorizado a troca, mas não tinham tempo de fazer a troca antes de sairmos com o Cruzeiro Costa Leste de 2008 a caminho do norte do Brasil, a acabou ficando sem fazer. Quando separamos o motor da transmissão, para trocar esse retentor, descobrimos o acoplador destruído pelos “tums”.


Moral da historia, tivesse o cabo sido instalado corretamente, ou, tivesse a inspeção de entrega da Yanmar identificado o problema, ou, tivessem todos os outros distribuidores Yanmar ao redor do mundo devidamente reconhecido a origem do problema, ou, tivesse eu todo o conhecimento que tenho hoje sobre esse assunto, e não teríamos tido todo esse custo desnecessário na manutenção do motor do Matajusi. Tomara que essa matéria ajude outros navegadores a reconhecer e sanar esse problema antes de terem o custo por não fazê-lo.

sexta-feira, março 01, 2013

MATAJUSI Navegation Information:

Nesse dia 3/2/2013 (mm/dd/yyyy) a essa hora 00:23 (utc),
nossa posição é 23°09.92'S 043°32.52'W,
no rumo 269T,
velocidade de 6.0 nós,
vento, teve de tudo, pelas divergencias na convergencia (!).

Completando a circunavegação nesse 15 dia da travessia
de Sta Helena ao Bracuhy, Angra dos Reis, Brasil, onde estamos chegando
em mais algumas horas.

Ao través da Restinga de Marambaia, ajudando no motor...

Tudo bem a bordo.

Previsao de chegada dos três primeiros barcos do BRally ao Bracuhy
para esse domingo!

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com

MATAJUSI Navegation Information:

Nesse dia 3/1/2013 (mm/dd/yyyy) a essa hora 08:59 (utc),
nossa posição é 23°19.70'S 041°53.01'W,
no rumo 275T,
velocidade de 5.4 nós,
vento de SO de até 10 nós,
sem ressaca,
150 milhas percorridas no 14 dia da travessia
de Sta Helena ao Bracuhy, Angra dos Reis, Brasil.

Ao través de Cabo Frio! Pouco vento, ajudando no motor...

Tudo bem a bordo.

Previsao de chegada do BRally ao Bracuhy para esse domingo!

Falamos as 09:00 e 18:00 UTC todos os dias no SSB 8143 USB.
Vamos ver se alguem de terra se conecta com a gente!

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com

quinta-feira, fevereiro 28, 2013

MATAJUSI Navegation Information:

Nesse dia 2/28/2013 (mm/dd/yyyy) a essa hora 09:51 (utc),
nossa posição é 23°11.32'S 039°19.05'W,
no rumo 262T,
velocidade de 6.4 nós,
vento de SO de até 15 nós,
ressaca NE e de até 1.5 mts,
135 milhas percorridas no 13 dia da travessia
de Sta Helena ao Bracuhy, Angra dos Reis, Brasil.

Velejamos bem, mas continuamos motor sailing a 1200RPM para garantir chegada.
Queimou o ventilador do motor (blower). Segundo da viagem. Sem reserva a bordo.
Velas mostrando sinal do esforço de 30 dias no mar.
Motor vazando oleo por varios lugares.
Transmissão com barulho forte em baixo RPM.
Passamos por todos os tipos de tempo, chuva e vento esse ultimo dia!
Parece que a Natureza quer nos lembrar de quem manda no pedaço, antes da nossa chegada de volta ao Brasil!

Pino do braço do piloto re-ajustado e ainda segurando.

Tudo bem a bordo.

Previsao de chegada do BRally ao Bracuhy para esse domingo!

Falamos as 09:00 e 18:00 UTC todos os dias no SSB 8143 USB.
Vamos ver se alguem de terra se conecta com a gente!

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com

terça-feira, fevereiro 26, 2013

MATAJUSI Navegation Information:

Nesse dia 2/26/2013 (mm/dd/yyyy) a essa hora 09:32 (utc),
nossa posição é 21°53.25'S 034°29.53'W,
no rumo 253T,
velocidade de 5.6 nós,
vento de NE de até 15 nós,
ressaca NE de até 1.5 mts,
138 milhas percorridas no 12 dia da travessia
de Sta Helena ao Bracuhy, Angra dos Reis, Brasil.

Continuamos motor sailing a 1200RPM.

Pino do braço do piloto segurando (knock, knock, knock na madeira!)
Ainda sem muito vento, que chega forte entre hoje e amanha.

Tudo bem a bordo.

Previsao de chegada do BRally ao Bracuhy para esse domingo!
Chegam os primeiros 3 barcos, Cat's Pawn IV, Matajusi, Milo One.
Dois outros a caminho, Mr Curly e Prynee.
Os outros ainda estao em Sta Helena ou Namibia

Falamos as 08:00 e 18:00 UTC todos os dias no SSB 8143 USB.
Vamos ver se alguem de terra se conecta com a gente!

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com

segunda-feira, fevereiro 25, 2013

MATAJUSI Navegation Information:

Nesse dia 2/25/2013 (mm/dd/yyyy) a essa hora 09:24 (utc),
nossa posição é 21°12.29'S 032°06.22'W,
no rumo 254T,
velocidade de 5.4 nós,
vento de E de até 8 nós,
ressaca E de até 2 mts,
145 milhas percorridas no 11 dia da travessia
de Sta Helena ao Bracuhy, Angra dos Reis, Brasil.

Motor sailing a 1200RPM.

Pino do braço do piloto quebrou durante a noite! Pus o barco em capa
e fui fazer um pino novo. Fiz com parafuso um pouco mais fino pois não tenho
reserva desse pino, que mandei fazer em Curaçao. Vamos acompanhar...

Cansados, mas tudo bem a bordo.

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com

domingo, fevereiro 24, 2013

MATAJUSI Navegation Information:

Nesse dia 2/24/2013 (mm/dd/yyyy) a essa hora 08:27 (utc),
nossa posição é 20°31.87'S 029°49.24'W,
no rumo 249T,
velocidade de 6.0 nós,
vento de SE de até 8/12 nós,
ressaca SE de até 2 mts,
144 milhas percorridas no 10 dia da travessia
de Sta Helena ao Bracuhy, Angra dos Reis, Brasil.

Motor sailing a 1200RPM.

Tudo bem a bordo.

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com

sábado, fevereiro 23, 2013

Primeira terra brasileira avistada!

Hoje as 19:12 (UTC) avistamos Martins Vaz. Mais um pouco e Trindade também já estava a vista!
Pena que vamos passar por essas duas ilhas à noite! Eu queria parar, dar uns mergulhos, conhecer o pessoal da Marinha,
mas com a transmissao com problema, corro risco na ancoragem em caso de precisar sair rápido.
Quem sabe um dia voltamos...
MATAJUSI Navegation Information:
At 2/23/2013 21:16 (utc), Position was 20°10.67'S 028°44.44'W, Direction was 250T, Speed was 5.7

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com

MATAJUSI Navegation Information:

Nesse dia 2/23/2013 (mm/dd/yyyy) a essa hora 08:51 (utc),
nossa posição é 19°51.03'S 027°37.46'W,
no rumo 256T,
velocidade de 5.3 nós,
vento de SE de até 15 nós,
ressaca SE de até 1 mts,
137 milhas percorridas no 9 dia da travessia
de Sta Helena ao Bracuhy, Angra dos Reis, Brasil.

Um dos barcos do BRally (Cat's Pawn IV) parou em Trindade pois estavam sem agua e
foram muito bem recebidos pela Marinha lá, que levou 100L de agua para eles.
Seguiram viagem para o Bracuhy e as 20:30H (Brasil), na pos: 20 40s 29 58w foram abordados por um
BARCO MILITAR CAMUFLADO com aprox 100mts e sem identificação, que chegou MUITO proximo (20mts),
pois holofote dos dois lados do veleiro, e NÃO respondeu radio contato no 16VHF.
Peço ao pessoal de terra informar a Marinha sobre os barcos do BRally se aproximando.

Tudo bem a bordo.

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

MATAJUSI Navegation Information:

Nesse dia 2/22/2013 (mm/dd/yyyy) a essa hora 12:34 (utc),
nossa posição é 19°22.98'S 025°43.13'W,
no rumo 252T,
velocidade de 5.4 nós,
vento de SE de até 15 nós,
ressaca SE de até 1 mts,
155 milhas percorridas no 8 dia da travessia
de Sta Helena ao Bracuhy, Angra dos Reis, Brasil.

Hoje ultrapassamos a marca de 30.000 milhas navegadas no Matajusi!
200 milhas até Trindade onde vamos parar para verificar helice,
1100 milhas até o Bracuhy.

Tudo bem a bordo.

----------
radio email processed by SailMail
for information see: http://www.sailmail.com